15
Jul 14

 

Após mais uma tentativa de fazer uma IIU no HSM, mais uma vez foi cancelada.

O acompanhamento feito é insuficiente, como se o nosso organismo se regulasse pelas agendas do hospital, acho que deveria era ao contrário, mas enfim.

Acho que deviam era dar às pessoas uns ansioliticos ou calmantes, venho sempre de lá com um camadão de nervos, que só me apetece é fugir.

As listas de esperas, faltas de médico e afins têm muito que se lhes diga. Enfim, mais um balde de água fria.

publicado por resgates dificeis às 09:22

10
Jul 14

Desculpem a minha ausência, mas o ritmo da vida é tão alucinante que nos deixa pouco tempo para as coisas que nos dão mais prazer.

Escrever é uma delas, mas ultimamente confesso que tenho descurado este meu hobbie.

A luta continua na rua!

A busca de um babie continua a ser a minha principal prioridade, a minha principal fonte de inspiração, o meu grande objetivo de vida.

Bem sei que talvez não devesse centrar-me tanto nisto, mas não consigo, é mais forte que eu.

Tento pensar em outras coisas, ter outras fontes de inspiração para viver, mas irremediavelmente, vai tudo parar ao mesmo objetivo.

Recentemente, tenho em cima da mesa uma proposta de trabalho, inspiradora, na área que sempre quis, mas que, certamente iria requer mais tempo e dedicação do que aquele que, possivelmente, estou disposta a dar.

Ainda não nasceste já me fazes ceder em tantas cosias!

E se nunca vieres?

E se todos estes desejos saírem gorados e esteja a abdicar de um futuro profissional, não sei se mais promissor, mas pelo menos mais ambicioso?

São dúvidas constantes que assolam o meu pensamento, mil vezes ao dia.

Mas pensar que não terei toda a disponibilidade, tranquilidade que todo este processo merece, faz-me recuar e, novamente, centrar-me no que realmente me faz acordar todos os dias.

Ainda não nasceste e já me inspiras!

Por tudo isso vou continuar nesta luta.

Sempre, até que não possa mais!

Essa sim é a única certeza que tenho, é a convicção mais forte de que vim ao mundo para isso.

Divagando menos, o tratamento da IIU no HSM foi adiado.

Fiz ontem ecografia e, segundo a médica, ainda não estão no ponto, pelo que adiou para a próxima semana.

Mais medicação entretanto, mais picadelas e algumas dores de barriga.

Depois disto vou de férias. As tão merecidas férias!

Quando regressar e caso este tratamento não se concretize ou não dê em nada, parto para o privado.

Não posso adiar mais!

Quando penso nas dúvidas e incertezas que tenho para tudo, penso na minha única certeza. Esta.

Ser mãe!

publicado por resgates dificeis às 08:49

16
Jun 14

"A primavera da vida é difícil de viver, tão depressa o sol brilha como a seguir está a chover..."

 

Cá andamos à espera do mal-fadado tratamento no HSM. A ver vamos se será desta, se não surge qualquer contrariedade.

 

Em setembro vamos mesmo arrancar com um tratamento à séria no privado. Ainda não decidimos onde, se continuamos com a mesma médica ou se avançamos para outra.

 

Mas esta espera desespera, por isso temos que avançar e juntar dinheiro claro! (Condição essencial!)

publicado por resgates dificeis às 12:48

30
Abr 14

 Lembrei-me hoje que faz um ano que iniciei as consultas no HSM.

Não me parece normal que num ano tenha feito apenas uma IA que, naturalmente, não deu em nada.

Como é possível ter taxas de sucesso nos hospitais públicos quando os níveis de desempenho são tão baixos.

Sabemos que são poucos os médicos para tanta gente, mas não se devia tentar mais? Como gerir a frustração de ver o tempo passar e sentir uma inércia tão grande?

Gosto dos médicos, dos enfermeiros, até hoje não tive qualquer razão de queixa de nenhum funcionário de lá, muito pelo contrário, se tivesse que escolher onde fazer um tratamento seria lá. Mas quando? Tanto se fala que depois dos 35 anos a mulher perde "fertilidade", mas o que realmente se faz para travar essa luta contra o tempo?

Para nós o tempo assume uma dimensão diferente, para nós um mês parece uma eternidade, um ciclo perdido é menos uma chance, menos um mês, em 12 meses de um ano, 12 chances parecem-nos tão poucas e nem todas são aproveitadas.

Tanta mágoa em viver num país em que um deputado que vive fora de Lisboa recebe um subsídio de residência, em que se gasta tanto onde não é necessário e ver pessoas reais, com problemas reais a contarem os dias para um potencial tratamento, que em muitos dos casos nem se realiza.

Desculpem a revolta, mas este país, às vezes, envergonha-me!

publicado por resgates dificeis às 09:48

04
Abr 14

 

34

Txiii, faço hoje 34 anos!

Lembro-me dos 16 na escola secundária, dos 18 em Palma de Maiorca, dos 23 no final da faculdade, dos 30 um tempo importantíssimo.

De todos tenho saudades daqueles que passei com a minha tia que hoje já cá não está. Felizmente, tenho todos os outros comigo.

Aos 18 pensei que aos 26 já seria mãe, aos 24 entendi que seria complicado realizar esse sonho, aos 30 pensava que ainda tinha muito tempo pela frente, aos 31 comecei a pensar nisso a sério, comecei a tentar e hoje vejo que não é tão fácil para mim como é para muita gente.

De tudo o que me acontece na vida tento arranjar uma explicação, um motivo que me faça dizer "-Afinal, isto aconteceu por um motivo". Ainda não cheguei a tal conclusão. Queria apenas realizar este desejo que, mais do que isso é um sonho, o maior de todos que desde sempre tive. Nunca tive dúvidas, nunca sequer pensei que não concretizaria este grande sonho. Pensar que passaria por esta privação esta dificuldade já era um sofrimento, mas a realidade é muito mais dura que isso. Mas aos 34 não se abandonam sonhos, não se quebram expectativas, não se entra em pessimismos.

Esperança! E muita saúde! Para mim, para os meus, para todos!

Porque o caminho só acaba no fim.

34, espero ainda estar a tempo!

publicado por resgates dificeis às 08:43

02
Abr 14

Já tenho as dores típicas de mais um ciclo normal, pelo que penso que ainda não foi desta.

A médica disse para fazer o teste só após 3 semanas, mas acho que nem vai chegar até lá. Entretanto deve aparecer.

No HSM disseram que se não fosse desta iria repetir o procedimento após 2 meses. Não sei se em Abril vá ao privado onde também estou a ser acompanhada para tentar novamente ou se espere e descanse o organismo durante o mês de Abril.

Vou pensar até lá.

E a entrar nos 34 anos nunca pensei que a minha vida estaria assim.

Mas as coisas nunca são como esperamos. Parece que tenho a vida em suspense.

Pouco se pode alterar, por agora. É insistir até acertar.

 

Obrigada aos que por aqui passam. Todas as palavras de apoio são importantes.

Obrigada aos que escrevem, aos que contam as experiências, os estados de alma, desabafos e palavras de força. São tão importantes que nem imaginam. Ajudam a continuar.

 

publicado por resgates dificeis às 12:43

17
Mar 14

A primavera já está a chegar e com ela vem o quentinho do sol que tanta falta nos faz.

Aproxima-se nova tentativa, no tratamento, o mesmo (IA), mas desta vez no HSM. Amanhã, é já amanhã!

Sem grandes filmes, esperanças ou sonhos. Mais uma tentativa. Ontem às 23h foi noite de pregnyl. Amanhã às 7h45 eu e o meu homem estaremos no laboratório para que ele faça a parte dele. Por volta das 10h e tal 11h será a minha vez.

Desta vez, na sexta passada, dia de ecografia, tinha 2 possíveis no lado direito e um mais pequeno no lado esquerdo. Enfim. Mais uma volta neste carrocel. Quero acreditar que um dia será o meu.

Vamos jogando, um dia acertaremos!

;)

publicado por resgates dificeis às 09:34

28
Fev 14

 

Mais um mês que passou com tantas aventuras.

Resumindo, tive uma inseminação marcada no HSM, que foi desmarcada 3 dias antes porque, segundo a médica tinha 5 possíveis óvulos fecundáveis o que daria uma gravidez múltipla de 5 babes e por si só muito perigosa. A médica fez-me prometer que não iria fazer nada mesmo nada.

Após a desilusão do prognóstico e da revolta de ter que aguentar mais um mês sem tratamento, já em casa decidi ligar à médica que tinha consultado numa clínica privada de Lisboa. Assim, no dia seguinte foi ao consultório realizar uma ecografia, onde a médica referiu ter visto apenas 3 possíveis óvulos. Assim, ficou à minha disposição se queria fazer a inseminação no dia seguinte. E assim foi. Na manhã seguinte o meu rapaz teve que lá ir e ao fim da tarde fiz a IA.

O grau de simplicidade do procedimento espantou-me, tal como a inoperância dos hospitais públicos portugueses em que, segundo eles, não dispõem dos meios humanos necessários para realizar tal procedimento com a brevidade que o mesmo permite. Sinceramente falando, acho que até o meu médico de família o poderia realizar, mas enfim. Após 500€ já se passaram 2 semanas, já realizei o teste que deu negativo, apesar da médica apenas ter dito para o efetuar ao fim de 3 semanas. Não esperei mais, tendo todos os sintomas de que o período está a chegar, achei melhor mentalizar-me de que ainda não foi desta. Resta-me esperar que o "nosso amigo" finalmente apareça para iniciar todo o procedimento novamente.

Assim, se desespera em Portugal.

publicado por resgates dificeis às 10:30

27
Jan 14

 Mais um ano, mais um mês e tudo igual.

A luta continua, a esperança chega e vai aos soluços.

O mês começou como no ano passado com esperança.

Coisas que acontecem que não sei qual a explicação, mas que acontecem.

O ano passado o meu ciclo menstrual teve a duração de 40 dias o que, irremediavelmente, desencadeou, automaticamente, a esperança. Passados 10 dias de atraso faço o teste e após o resultado negativo, que diga-se, atingiu o meu coração como uma seta, de tal forma que prometi a mim mesma só voltar a fazer novamente quando tivesse um atraso bastante considerável, pois não quero sentir o que senti naquele dia.

Este mês a história repetiu-se. Diz-se que tem tendência a repetir-se sempre. No entanto, desta vez como tomei Gonal já sabia que o atraso podia surgir. Assim, 10 dias depois o sonho continuava, sem testes feitos, claro, até hoje de manhã.

A ideia de não ter que passar por todo o processo de ligar para o hospital, saber se há vaga etc etc etc enchia-me de alegria. Mas parece que vou ter que voltar à carga. E recarregar? É difícil, mesmo quando é uma coisa que se quer desmesuradamente, custa muito...

Tudo o que não depende só e apenas de nós é complicado gerir, ainda para mais quando se depende de um sistema público esgotado, a rebentar e completamente desumanizado a nível procedimental. As pessoas, sempre as pessoas para o bem e para o mal ainda o vão safando de quando em vez, mas as vítimas dele, essas continuam ao sabor de uma vaga, da sorte de ter uma vaga, um médico disponível e até um embriologista que permita efetuar o tratamento. Já conto com 3 meses de adiamento. 3 meses que podia ter tentado não fosse o maldito (salvo seja) embriologista ter-se cortado. Como um colega meu diz muitas vezes, são "malhas que o império tece".

publicado por resgates dificeis às 11:51

19
Dez 13

 

Quando as forças fraquejam

Quando o tempo passa sem sentido

Quando as dúvidas são lugar a poucas certezas

Quando os sentimentos não chegam

Quando a desunião surge

Quando o desamor corrói

Quando as desilusões desunem

Quase, quase a desistir disto tudo!

publicado por resgates dificeis às 11:04

Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO