30
Abr 14

 Lembrei-me hoje que faz um ano que iniciei as consultas no HSM.

Não me parece normal que num ano tenha feito apenas uma IA que, naturalmente, não deu em nada.

Como é possível ter taxas de sucesso nos hospitais públicos quando os níveis de desempenho são tão baixos.

Sabemos que são poucos os médicos para tanta gente, mas não se devia tentar mais? Como gerir a frustração de ver o tempo passar e sentir uma inércia tão grande?

Gosto dos médicos, dos enfermeiros, até hoje não tive qualquer razão de queixa de nenhum funcionário de lá, muito pelo contrário, se tivesse que escolher onde fazer um tratamento seria lá. Mas quando? Tanto se fala que depois dos 35 anos a mulher perde "fertilidade", mas o que realmente se faz para travar essa luta contra o tempo?

Para nós o tempo assume uma dimensão diferente, para nós um mês parece uma eternidade, um ciclo perdido é menos uma chance, menos um mês, em 12 meses de um ano, 12 chances parecem-nos tão poucas e nem todas são aproveitadas.

Tanta mágoa em viver num país em que um deputado que vive fora de Lisboa recebe um subsídio de residência, em que se gasta tanto onde não é necessário e ver pessoas reais, com problemas reais a contarem os dias para um potencial tratamento, que em muitos dos casos nem se realiza.

Desculpem a revolta, mas este país, às vezes, envergonha-me!

publicado por resgates dificeis às 09:48

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO