30
Abr 14

 Lembrei-me hoje que faz um ano que iniciei as consultas no HSM.

Não me parece normal que num ano tenha feito apenas uma IA que, naturalmente, não deu em nada.

Como é possível ter taxas de sucesso nos hospitais públicos quando os níveis de desempenho são tão baixos.

Sabemos que são poucos os médicos para tanta gente, mas não se devia tentar mais? Como gerir a frustração de ver o tempo passar e sentir uma inércia tão grande?

Gosto dos médicos, dos enfermeiros, até hoje não tive qualquer razão de queixa de nenhum funcionário de lá, muito pelo contrário, se tivesse que escolher onde fazer um tratamento seria lá. Mas quando? Tanto se fala que depois dos 35 anos a mulher perde "fertilidade", mas o que realmente se faz para travar essa luta contra o tempo?

Para nós o tempo assume uma dimensão diferente, para nós um mês parece uma eternidade, um ciclo perdido é menos uma chance, menos um mês, em 12 meses de um ano, 12 chances parecem-nos tão poucas e nem todas são aproveitadas.

Tanta mágoa em viver num país em que um deputado que vive fora de Lisboa recebe um subsídio de residência, em que se gasta tanto onde não é necessário e ver pessoas reais, com problemas reais a contarem os dias para um potencial tratamento, que em muitos dos casos nem se realiza.

Desculpem a revolta, mas este país, às vezes, envergonha-me!

publicado por resgates dificeis às 09:48

04
Abr 14

 

34

Txiii, faço hoje 34 anos!

Lembro-me dos 16 na escola secundária, dos 18 em Palma de Maiorca, dos 23 no final da faculdade, dos 30 um tempo importantíssimo.

De todos tenho saudades daqueles que passei com a minha tia que hoje já cá não está. Felizmente, tenho todos os outros comigo.

Aos 18 pensei que aos 26 já seria mãe, aos 24 entendi que seria complicado realizar esse sonho, aos 30 pensava que ainda tinha muito tempo pela frente, aos 31 comecei a pensar nisso a sério, comecei a tentar e hoje vejo que não é tão fácil para mim como é para muita gente.

De tudo o que me acontece na vida tento arranjar uma explicação, um motivo que me faça dizer "-Afinal, isto aconteceu por um motivo". Ainda não cheguei a tal conclusão. Queria apenas realizar este desejo que, mais do que isso é um sonho, o maior de todos que desde sempre tive. Nunca tive dúvidas, nunca sequer pensei que não concretizaria este grande sonho. Pensar que passaria por esta privação esta dificuldade já era um sofrimento, mas a realidade é muito mais dura que isso. Mas aos 34 não se abandonam sonhos, não se quebram expectativas, não se entra em pessimismos.

Esperança! E muita saúde! Para mim, para os meus, para todos!

Porque o caminho só acaba no fim.

34, espero ainda estar a tempo!

publicado por resgates dificeis às 08:43

02
Abr 14

Já tenho as dores típicas de mais um ciclo normal, pelo que penso que ainda não foi desta.

A médica disse para fazer o teste só após 3 semanas, mas acho que nem vai chegar até lá. Entretanto deve aparecer.

No HSM disseram que se não fosse desta iria repetir o procedimento após 2 meses. Não sei se em Abril vá ao privado onde também estou a ser acompanhada para tentar novamente ou se espere e descanse o organismo durante o mês de Abril.

Vou pensar até lá.

E a entrar nos 34 anos nunca pensei que a minha vida estaria assim.

Mas as coisas nunca são como esperamos. Parece que tenho a vida em suspense.

Pouco se pode alterar, por agora. É insistir até acertar.

 

Obrigada aos que por aqui passam. Todas as palavras de apoio são importantes.

Obrigada aos que escrevem, aos que contam as experiências, os estados de alma, desabafos e palavras de força. São tão importantes que nem imaginam. Ajudam a continuar.

 

publicado por resgates dificeis às 12:43

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO