07
Mai 13

Tempos cinzentos, sem esperança, sem energia.

Ar fresco precisa-se!

Os dias passam sem ordem, sem sabor. Não chegamos a lado algum, sem esperança, e é nesse estádio que me encontro agora.

O desânimo não me deixa respirar, não me deixa sonhar, não me conduz a algo construtivo e forte.

Ar fresco precisa-se!

A espera desespera e conduz a um beco escuro, sem fé, sem vontade.

Ando à deriva na espera de não ter que esperar mais.

Alguém que empurre para a luz. Preciso tanto dela, mas não a alcanço.

Ar fresco precisa-se!

publicado por resgates dificeis às 15:26

O início de qualquer coisa nunca é fácil.

Começar algo envolve medo, ansiedade, desconhecido.

Escrever pode ser libertador, mas ao mesmo tempo toca nos nossos pontos mais sensíveis que por vezes nos magoam.

Será isso. Um tempo para libertar, aliviar sentidos, emoções, fragilidades.

É mais fácil escrever para o desconhecido, pode ler sem nos julgar, pois mal nos conhece, constrói uma imagem que em nada pode ser a nossa.

É isso que se procura!

Um espaço perdido no próprio espaço e tempo com total liberdade de ser sem opiniões, só ser livremente.

É isso! 

publicado por resgates dificeis às 12:19
sinto-me:

Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
18

19
23
25

26
27
28
29
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO